quinta-feira, 9 de março de 2017

Uma Raposa, 17 Gansos e Um Tabuleiro. Venham Jogar!!!



Um jogo de tabuleiro testado e aprovado pelas crianças, divertido, ao mesmo tempo que pede concentração e estratégia.
É possível construí-lo em casa com materiais básicos, o que torna todo o processo ainda mais engraçado e em que as crianças podem envolver-se.
O original deste nosso jogo encontrá-mo-lo aqui. Depois foi apenas necessário adaptá-lo ao nosso gosto, deitar mãos à obra e finalmente, jogar.

Material:
2 folhas A4 papel quadriculado
1 folha branca de cartolina
1 folha azul de cartolina
17 botões amarelos
1 botão azul 
Tesoura
Cola
Lápis de cor

Construção:
1º passo: fazer 5 quadrados em papel quadriculado com 16x16 quadrículas. Recortar.


2º passo: dividir cada quadrado ao meio nos 3 sentidos (vertical, horizontal e oblíquo) com lápis de cor.

3º passo: colar os quadrados como se vê na imagem numa cartolina azul e recortar a toda a volta deixando uma pequena margem.

4º passo: colar tudo numa cartolina branca, quadrada, com 35cm de lado.


No nosso caso, decorámos o tabuleiro com lápis de cor e escrevemos as regras no próprio tabuleiro para estarem acessíveis durante o jogo.
Para fazer a raposa e os gansos usámos botões.
O jogo começa com as peças colocadas como se vê na primeira imagem acima.
Divirtam-se!!!

Regras do jogo:
1. A raposa joga em primeiro lugar
2. A raposa pode mover-se em todos os sentidos e pode comer os gansos saltando por cima deles sempre que haja uma casa vazia atrás do ganso. Pode dar saltos sucessivos e comer vários gansos numa só jogada.
3. Os gansos podem mover-se em todas as direções menos para trás. Ganham quando conseguem encurralar a raposa.
4. A raposa ganha se comer todos os gansos ou se conseguir passar por eles impedindo-os de andar para trás para a encurralarem.
5. Os gansos não saltam nem podem comer a raposa.


Aqui está um exemplo de um jogo ganho pelos gansos. A raposa não tem para onde fugir:


E aqui está um exemplo de um jogo ganho pela raposa. Os gansos não podem andar para trás, logo não podem encurralar a raposa.

segunda-feira, 6 de março de 2017

Porque Somos Muito Mais Felizes Quando Gostamos de Alguma Solidão


Num mundo onde tudo é feito a correr, tudo acontece tão rápido e onde as próprias relações são efémeras, uma das características que tento cultivar aqui em casa, é a capacidade de estarmos sozinhos, em silêncio, a fazer as coisas que mais gostamos.
Desejo que os meus filhos cresçam cultivando sempre esse gosto pela solidão, em estar sozinhos, aprendendo a sentir essa necessidade. 
Porque não precisamos estar sempre em grupo, porque é saudável algum recolhimento interior,
porque somos muito mais felizes quando gostamos da nossa própria companhia, quando conseguimos estar connosco ao ponto de gostarmos de alguma solidão.










quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Uma História, um Gato, uma Rainha, Pinturas e Bananas

Hoje o dia acordou farrusco aqui em Almoçageme e quando pusemos o nariz fora da porta decidimos que íamos ficar mesmo por aqui. 
Foi dia de pinturas, uma história e banana na frigideira. Foi dia de nos encostarmos uns aos outros para ler e ouvir histórias que nos fazem sonhar. 
Fomos com o gato amarelo visitar a Rainha Só, um gato solitário que foge de um incêndio e parte em busca de uma nova casa encontrando pelo caminho uma Rainha que vive solitária no seu castelo com uma máquina de costurar palavras e um telecaleidoscópio. Uma amizade improvável ao longo das estações do ano e por um mundo imaginário fora. 
As bananas foram todas, o livro também, mas a barriga e a alma ficaram reconfortadas, com comida e com sonhos.







Banana na frigideira:
8 bananas (somos muitas barrigas)
2 colheres chá de óleo de coco
Canela a gosto 
12 amêndoas descascadas

Cortar as bananas em pedaços e fritar numa frigideira com o óleo de coco durante uns minutos. Polvilhar com canela, deitar as amêndoas por cima e saborear.
Bom apetite!!!

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Porque cada Criança e Ser Humano são Únicos e Individuais



Porque cada criança tem o seu ritmo, de vida, de rotinas, de aprendizagem. Porque quando já todos estão deitados e a dormir é quando o nosso pequeno Simão escolhe, muitas vezes, "fazer coisas". O seu pico de criatividade é quase sempre depois das 10h da noite. Muitas vezes já não consigo acompanhar o processo, estou exausta e já só anseio pelo momento de me deitar, mas sabe-me bem olhar para ele, comtemplar a sua individualidade, respeitar o seu ritmo e admirar como todas as crianças são realmente tão diferentes. 
Neste papel que escolhi na vida dos meus filhos resta-me apenas aceitar este facto e dar-lhes as condições e as ferramentas que necessitam para expressarem a sua individualidade. 
Estou grata porque posso e porque eles podem.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Há Dias em Que Acordamos para Conviver com o Caos que se Instala

Há dias em que quando acordamos de manhã, olhamos à volta e sabemos que o que temos pela frente é um monte de roupa para lavar, casa de banho para limpar, casa para aspirar, e por sinal um bebé ali ao  lado com uma fralda cheia de conteúdo nuclear e duas crianças mais crescidas a pedirem comida como se fossem cucos no ninho. E ainda nem tivemos tempo ou oportunidade de lavar as ramelas ou comer seja o que for. É nesse momento que respiramos fundo, mudamos a fralda ao bebé, alimentamos todas as crias, lavamos as ramelas e afins, finalmente bebemos a dose de vitaminas diária, mas não vamos limpar a casa, nem lavar a roupa. 
Começamos o dia todos na cozinha a fazer bolos, depois lemos histórias de terror e brincamos aos carrinhos com o alguidar da roupa e de seguida pegamos na mochila com água e maçãs e vamos para a serra curtir o sol e apamhar lenha para acender a lareira.
E lá se instala o caos, aquele caos a que já nos habituámos, aquele caos que teima em ficar só porque a vida com crianças é mesmo assim. Haja energia para o resto quando calhar, ou quando já não houver roupa para vestir, ou a casa de banho cheirar a urinol. Haja energia!!!







sábado, 11 de fevereiro de 2017

Há um bosque ao pé de casa onde brincamos e esperamos que a chuva chegue

Há um bosque aqui ao pé de casa onde vamos brincar, apanhar sol e esperar que a chuva chegue. É um lugar especial, com muitas árvores e muita areia, mesmo junto à praia, onde faz menos frio e menos vento e onde se pode ouvir o mar. Sabe bem fechar os olhos e ficar a ouvir o mar (quando o bebé dorme)!!!
Um saco com maçãs, chá quente e tricô é quanto me basta para sair de casa e aproveitar o sol. Às vezes chega-me ficar a olhar para eles enquanto brincam para me sentir em paz.
É um lugar com uma energia tão especial que apetece partilhar. Já estamos a imaginar o baloiço e a fita entre as árvores e os amigos a correr...
Até já!









sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Este Momento #55




{este momento} - Um ritual de Sexta-feira. Uma simples foto, sem palavras, capturando um momento da semana. Um momento simples, especial e extraordinário. Um momento que eu quero parar, saborear e recordar.
A primeira vez que vi esta ideia foi no blogue A Horta Encantada e achei fantástica. Tenho fotos aqui guardadas que não sabia o que lhes fazer, mas gosto delas por serem momentos especiais cá de casa. Quem as vir, não vai sempre entendê-las, mas para mim são especiais.

A ideia original saiu do blogue soule mama.